Início
 Revistas 
Livros Usados


Novidades

  • Sonho de Outono / Nome

    Jon Fosse

     Em "Sonho de Outono", um homem e uma mulher encontram-se num cemitério. Já se conheceram e amaram, mas só agora podem realizar esse amor. A mulher oferece-se, o homem hesita. Conversam sobre o amor e a morte, o homem questiona o amor, teme a morte, a mulher quer viver e amar. E descobrimos que este amor já se realizou e já acabou. E a vida passa.
    Em "O Nome", há uma família, uma casa e três actos. E existem as sementes que podiam pôr em marcha a intriga naturalista e burguesa: uma rapariga regressa a casa passados anos, grávida, vem o namorado e aparece ainda o antigo amor. Só que, havendo tensão e desconforto, não é a psicologia que interessa. As personagens, sonâmbulas, repetem-se, dizem que sim e que não com a cabeça, vão até à janela, abrem e fecham portas. E, claro, a criança pode nascer a qualquer momento.
  • Sei porque canta o pássaro na gaiola

    Maya Angelou

     Grandioso livro de memórias, Sei porque Canta o Pássaro na Gaiola (1969) é uma poética viagem de libertação e um glorioso bater de asas num mundo opressivo.

    Este relato inspirador da infância e da juventude da autora, nos anos 30 e 40, devolve-nos o olhar de uma extraordinária criança sobre a violência inexplicável do mundo dos adultos e a crueldade do racismo, na procura da dignidade em tempos adversos.

    Do Arkansas rural às cidades da Califórnia, Maya Angelou traça neste livro um tocante retrato da comunidade negra dos Estados Unidos, durante a segregação, e de uma consciência que, incapaz de se resignar, desperta rumo à emancipação.

    Um clássico americano que marcou gerações e que conserva toda a sua actualidade.
  • As Ruínas São Lobos Que Choram

    Sérgio Ninguém

    O n.º 2 da colecção "Eufeme Poesia" é assinada por Sérgio Ninguém. "As Ruínas São Lobos Que Choram" é um lançamento exclusivo da Poetria.

    Já disponível
  • A Porta e Outras Ficções

    Fernando Pessoa

     Esta nova edição das ficções pessoanas continua o trabalho de recolha e divulgação das edições anteriores. Estão aqui reunidas nove ficções de Fernando Pessoa, quatro das quais inéditas, tendo as outras sido objecto de novas leituras e organização.

    A edição inclui duas tentativas de romance, as únicas na obra de Pessoa: Reacção, passado no final da monarquia, época de grandes conspirações, e Marcos Alves, as confissões de uma alma possuída pela «agoniada tristeza de não ter feito nada».

    Os outros contos que formam este volume representam várias fases da vida criativa do autor, com especial incidência nos seus primeiros anos.
  • Tlon: Revista literária independente

    AAVV

     Nº 2
  • Repetir

    Katia Maciel

    Segundo livro de poemas da artista visual e pesquisadora Katia Maciel, publicado em parceria com a editora +2.


    Download gratuito do livro:
    http://editoracircuito.com.br/website/wp-content/uploads/2015/11/Repetir_PDF_Internet.pdf
  • Alto-mar

    Katia Maciel

    Organizado pela poeta e artista plástica Katia Maciel, Alto-mar reúne os poemas de 26 autoras que coincidem num ponto: a presença da palavra “mar” em todos os poemas desta coletânea, ampliando as múltiplas vozes de poetas mulheres na poesia contemporânea.
  • Autobiografia do Vermelho

    Aquilino Ribeiro

     AUTOBIOGRAFIA DO VERMELHO, de Anne Carson, numa tradução de João Concha e Ricardo Marques.
    Esta é a primeira edição em português desta obra de Anne Carson, bem como o primeiro livro da autora a ser publicado entre nós.

    “Gerião sentou-se na cama do seu quarto de hotel pensando nas fendas e aberturas da sua vida interior. Pode acontecer que a saída do vulcão esteja bloqueada por um pedregulho, forçando a matéria fluída a escorrer para os lados em fissuras laterais chamadas de lábios de fogo pelos vulcanólogos. Mas Gerião não queria tornar-se numa dessas pessoas que só pensam na sua bagagem de dor. Curvou-se de joelhos sobre o livro.
    Problemas Filosóficos.
    ‘… Nunca saberei como vês o vermelho e nunca saberás como eu o vejo. Mas esta separação da consciência é só reconhecida após uma falha na comunicação, e o nosso primeiro movimento é o de acreditar num ser indivisível entre nós…’
    À medida que Gerião lia ia sentindo algo como toneladas de magma negro emergindo das regiões mais profundas do seu corpo. Voltou a olhar o início da página e recomeçou.
    ‘Negar a existência do vermelho é negar a existência do mistério. A alma que assim o faz irá um dia enlouquecer.’”
  • Textinhos, Intróitos & Etc

    Vitor Silva Tavares

     
  • Rosas

    Dulce Maria Cardoso

    Repetir. Repetir. Repetir. Repetir.

    A importância de um gesto está sempre na repetição. Um gesto
    isolado pode muito bem nunca ter sentido.
    A importância de um gesto está sempre na repetição. Um gesto
    isolado pode muito bem nunca ser sentido.
    A banalização de um gesto está sempre na repetição. Um gesto
    repetido pode muito bem já não ser sentido.
    A banalização de um gesto está sempre na repetição. Um gesto
    repetido pode muito bem já não ter sentido.

    Rosas – Dulce Maria Cardoso

Eventos


  • ...

Destaques

Fragmentos de Novalis

Novalis

Neste livro, Rui Chafes juntou fragmentos, que ele traduziu, da obra de Novalis a desenhos seus. O resultado, como ele diz no prefácio a esta obra, é uma escultura, um “objecto de paixão: nasce de uma longa relação com os textos de "Novalis" que se revelaram como uma das bases estéticas mais importantes para o meu trabalho de escultura.”. Mais do que uma recolha de ensaios e reflexões filosóficas sobre o mundo, a sociedade e os homens, este livro é uma homenagem de Rui Chafes a "Novalis", pela influência que ele e a língua alemã tiveram na construção da sua obra.

Antologia poética

Jacques Brel

 

Clepsidra e Outros Poemas

Camilo Pessanha

A bem conhecida poesia de Camilo Pessanha com Prefácio de Daniel Pires e Ilustrações de Rui Campos Matos.

José Carlos Soares